Categoria: Viagem

Encontro Cuidar de Si

 

 

Venha harmonizar corpo e mente em ambiente de grande beleza!

Encontro com práticas corporais de desbloqueio energético, autopercepção, alinhamento e revitalização por meio das técnicas do Corpo Sonoro, Yoga e Dança Circular. Em uma ambiência de exuberante natureza.

 

Data(s):

De 18 a 23/09

Local:

Barra Grande – Bahia

45520-000

 

Valor(es):

R$ 680 em 3X até 15 de Julho

R$ 730 em 2X até 15 de Agosto

R$ 780 à vista até 09 de Setembro

O pacote inclui:as práticas e vivências de Corpo Sonoro, de Yoga, Danças circulares e as meditações em grupo.

Hospedagem:Sugerimos a Pousada Compostela ou Capitão Gancho – 400,00 (5 diárias).

Transporte:Vôo até Ilhéus ou Salvador.

Translado do aeroporto até Barra Grande: 260,00 por pessoa  ida e volta.

 

Você está precisando ter uma experiência nova e gratificante daquelas que trazem renovação de forças e alegria?

Neste encontro haverá trabalhos corporais e vivências sonoras que promoverão conexão com o todo, renovação, ressignificação e revitalização. Haverá trabalho pessoal e passeios na bela natureza da Península de Maraú.

Embora a tendência desta proposta seja de convivência com os demais durante nossa jornada, para aqueles que quiserem interiorização e recolhimento, Barra Grande oferece cenários perfeitos. Tem uma longa extensão de praia, seja do lado da baia de Camamú, seja do lado de mar aberto, assim, se for o caso, o participante poderá desfrutar de silêncio e calmaria em um dos belos e tranquilos recantos de lá.

Os participantes terão o apoio da equipe de produção durante todo o evento quanto à informações e orientações (restaurantes, transporte e locais a serem visitados).

 

Corpo Sonoro

Este Método que se baseia nos conhecimentos de Alexander Lowen, (criador da Bioenergética) e da música, combina práticas físicas, respiratórias e de expressão vocal, promovendo, por meio da consciência corporal e da expressão vocal, o desbloqueio das tensões e o equilíbrio emocional.

 

Dança Circular

A Dança Circular é o resgate de uma prática ancestral, vestida para os tempos atuais.

Sua dinâmica é simples. Ensina-se o passo e aos poucos as pessoas começam a internalizar os movimentos, liberar a mente, o coração, o corpo e o espírito.

O principal enfoque na Dança Circular não é a técnica e sim o sentimento de união de grupo, o espírito comunitário que se instala a partir do momento em que todos, de mãos dadas, apoiam e auxiliam os companheiros. Assim, ela é indicada para pessoas de qualquer idade auxiliando o indivíduo a tomar consciência de seu corpo físico, acalmar seu emocional e como trabalhar sua concentração e memória.

 

Benefícios:

Desbloqueio energético, alinhamento, autoconhecimento, harmonia e bem estar.

 

Público alvo:

Público em geral, pessoas de todas idades que queiram se trabalhar física e emocionalmente.

Praticantes de Dança Circular, praticantes de Yoga e pessoas simpatizantes da Bioenergética.

 

Programa:

Dia 18 (terça-feira)

Check-in na pousada à tarde ou à noite

Dia 19 (quarta-feira)

9h – Recepção dos participantes com apresentação dos facilitadores das práticas Corpo Sonoro, Yoga e Dança Circular

9h30 às 10h45 – Prática de Yoga para todos os níveis, inclusive iniciantes

11h às 11h40 – Iniciação à Dança Circular com passos simples, de fácil assimilação, que propiciará o contato inicial entre os participantes.

14h às 16h – Prática corporal Corpo Sonoro *

  • Reconhecimento dos anéis de energia corporais (ocular, oral, toráxico, dia agmático, abdominal e pélvico)
  • Desbloqueio energético por meio da automassagem
  • Práticas que ampliam a autopercepção

* Método criado pela psicóloga e terapeuta corporal Sandra So ati baseado na Bioenergética e na música, com o objetivo de desbloqueio energético (físico e emocional), alinhamento corporal e ampliação da respiração.

Dia 20 (quinta-feira)

9h às 15h – Passeio de barco na Península de Maraú* (opcional) ao som de melodias e mantras com o propósito de harmonização com a natureza. Almoço na Ilha de Campinhos (opcional, se preferir, levar lanche).
* A Península de Maraú é a terceira maior península do Brasil muito conhecida por velejadores. Passaremos por ilhas e belas regiões de mangue.

18h às 19h30 – Meditação na Ponta do Mutá* e /ou Dança Circular
* A Ponta do Mutá é a ponta da Península de Maraú. Ver o por do sol de lá já é uma experiência de grande beleza. Ampliaremos esta experiência por ser vivida em grupo e ao som de mantras.

 

Dia 21 (sexta-feira)

9h30 às 11h30 – Corpo Sonoro Práticas anti-stress e respiração (reconhecimento de padrão e abertura do dia agma).

14h às 16h – Prática de Yoga

18h – Dança Circular ao pôr do sol junto à foz do Rio Carapitangui*

* Outra ambiência de beleza e harmonia em Barra Grande é a região onde o rio Carapitangui se encontra com o mar. Há ali uma larga extensão de areia onde dançaremos apreciando o por do sol.

 

Dia 22 (sábado)

8h30 às 10h – Visita às piscinas naturais de Taipu de Fora (opcional), por ser este dia o de maré mais baixa, quando se formam as conhecidas piscinas naturais.

10h30 às 12h – Yoga / Meditação

15h às 17h – Corpo Sonoro Ampliação do espaço corporal interno por meio de vibrações sonoras, práticas que ampliam a consciência corporal e propiciam exibilidade e leveza.

18h – Encerramento

 

Dia 23 (domingo)

Check-Out na pousada pela manhã

 

Sobre a Península de Maraú

Situada no litoral Sul da Bahia, entre o Oceano Atlântico e a Baía de Camamu (a terceira maior baía do Brasil), reúne uma grande variedade de paisagens de rara beleza. São imensos coqueirais, praias desertas, rios, lagoas, piscinas naturais de águas claras, mangues, mata atlântica e muita vida selvagem.

Conta com mais de 40 km de praias praticamente desertas, de areia clara e um mar de diferentes tonalidades, do azul escuro a tons mais claros e esverdeados. As praias voltadas para o oceano são extensas, com ondas boas para o surfe e recifes que formam piscinas naturais. Do lado da Baía de Camamu, as praias têm águas mais calmas.

A vila de Barra Grande é o lugar mais conhecido da Península pois conta com boa estrutura para recepção de turistas. Poucos lugares do litoral brasileiro souberam manter seu charme e sua natureza preservada, Barra Grande é um deles. Bem diferente do agito de centros turísticos mais famosos, o vilarejo possui um clima de tranquilidade e um cenário natural belíssimo que deixa qualquer visitante encantado.

Outra praia que merece destaque é Taipu de Fora, considerada por alguns como uma das praias mais belas da Península, ca a aproximadamente 9 km de Barra Grande. Programamos uma visita até lá no dia 22 – último dia de nosso encontro – pois neste dia, pela manhã, a maré estará baixa e será possível des utarmos as já famosas piscinas naturais.

Sobre as Terapeutas:

Sandra Sofiatié Psicóloga formada pela USP, atua há 30 anos em clínica de psicoterapia individual, dirige práticas de Corpo Sonoro (terapia corporal) e é facilitadora de Constelações Familiares.

Atuou como professora do Instituto SEDES SAPIENTAE, instituto ligado à Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC), por 10 anos. Atualmente, além das atividades acima citadas, é professora convidada do Curso de Medicina Integrativa da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo).

Eliara Cruz éAssistente Social, Coach e Focalizadora de Danças Circulares (formação com Renata Ramos), em São Paulo.

Atuação na área organizacional, gestão de pessoas e desenvolvimento humano em São Paulo. Participação em retiros, treinamentos e atividades comunitárias.

 

Inscrições:

Envie um WhatsApp – (61) 995174821 c/ nome completo e email.

Pagamento pode ser feito via depósito bancário ou cartão. Clique AQUI.

 

Compartilhar é um gesto de doação e amor! Se achou interessante, compartilhe. Isso pode beneficiar alguém!

 

Soraya Farah

Eco Mind Events

Envie um WhatsApp – (61) 995174821 c/ nome completo e email.

Instagram: zenmind_ecomind

Facebook: Eco Mind Events

Blog: www.ecomind.center

 

Continue Reading

Porque viajar à Índia Sagrada e Nepal?

 

Quem escolhe viajar para a Índia, certamente tem uma motivação que vai além do simples desejo de fazer turismo. Uma viagem para a Índia nos leva ao encontro de um território sagrado, onde as lendas e os mitos estão vivos e acontecendo ao nosso redor. A Índia parece, em certo sentido, um lugar em que o tempo caminha numa marcha diferente.

Uma viagem à Índia é um encontro com o divino, com o espiritual – seja qual for a nossa base religiosa. Quando estamos na Índia sentimos a presença do sagrado a todo o momento. Ao caminhar por suas ruas movimentadas cruzamos com swamis, babas e sadhus com suas vestes coloridas e austeras, seres que renunciaram à vida mundana para se dedicar integralmente à busca espiritual e ao serviço à humanidade. Mesmo os templos mais simples e despojados de qualquer luxo guardam uma atmosfera de mistério e profundidade. Especialmente nas margens do Rio Ganges são realizados diariamente rituais de adoração à Deusa Ganga com o canto de mantras devocionais e o uso do fogo sagrado. A cidade de Rishikesh, considerada a Capital do Yoga, possui um encanto todo especial. Ficar hospedado em um centro de yoga como o Ashram do Swami Rama, praticando meditação e cantando mantras junto a experientes yogues, participando de aulas de yoga, práticas respiratórias e rituais do fogo, é uma experiência que fica marcada na memória por toda a vida.

A Índia é um verdadeiro caldeirão cultural. Embora o hinduísmo seja a religião predominante, há muitos muçulmanos, budistas, jainistas, sikhs e uma pequena minoria católica. Existe na Índia um espírito de aceitação de todas as religiões. Cada religião ou seita é vista como um caminho para a verdade, e prevalece a liberdade de pensamento e o respeito mútuo.

Viajar pela Índia é experimentar um outro mundo, que embora muito diferente, de certa forma nos permite o reencontro com nossas raízes mais profundas. Além da diversidade religiosa, há uma grande diversidade de condições geográficas e climáticas. Enquanto que no centro e no sul prevalece um clima tropical e quente, ao norte temos as imponentes montanhas dos Himalaias, com seus picos nevados, onde os termômetros podem chegar a níveis muito baixos. Os Himalaias sempre foram tidos como a residência de grandes Mestres espirituais. Existem muitas narrativas de yogues que moraram em cavernas inóspitas, levando uma vida de extrema austeridade, meditando nas montanhas durante muitos anos.

A região de Ladakh, que fica no Estado da Cachemira, é conhecida como Pequeno Tibete, pois sua geografia em muito se assemelha à do Tibete. Lá existem numerosos monastérios e muitos tibetanos, incluindo lamas, que tiveram de deixar sua terra natal em razão da ocupação dos chineses. É um local de grande beleza, com lagos azuis, magníficos picos nevados e vistas deslumbrantes. Lá é possível excursionar pela estrada mais alta do mundo, que chega a atingir 5.602 metros de altitude em sua passagem mais elevada. A sensação ao se dirigir ao Vale Nubra por essa estrada é de estarmos em um outro planeta de pura magia.

Desde que pisamos em Délhi, sentimos a grandiosidade e a beleza da arquitetura e da cultura da Índia. O Akshardham, um impressionante complexo cultural e espiritual dedicado ao grande instrutor Swaminarayan, possui o maior templo hindu do mundo, e diversas atrações como o show de som e luz na fonte musical dançante.

Eduardo Weaver

 

 

 

Eduardo Weaver é o organizador e guia da viagem, um educador que vem estudando a cultura indiana e o yoga há mais de 40 anos. Ele organiza anualmente, sempre em outubro, uma viagem para a Índia e mais um país da região. Esse ano o Nepal, onde fica boa parte da Cordilheira dos Himalaias, incluindo o Monte Everest, foi escolhido para compor o roteiro. O programa da viagem inclui Délhi, Agra (Taj Mahal), Rishikesh, Amritsar (Templo Dourado, lar da religião Sikh), Ladakh e várias cidades do Nepal.

Breve serão divulgadas mais informações sobre essa Viagem às Terras Sagradas dos Himalaias que ocorrerá no período de 3 a 29 de outubro. Será uma viagem de transformação interior, reflexão e aprendizado; uma jornada de “insights” e descobertas que dará aos participantes uma visão privilegiada da riqueza cultural e espiritual das terras dos Himalaias. Conforme comenta Eduardo Weaver, toda pessoa com genuíno interesse na vida espiritual precisa ir ao menos uma vez à Índia.

 

Apoio:

Soraya Farah

Eco Mind Events

Instagram: zenmind_ecomind

Facebook: Eco Mind Events

Blogwww.ecomind.center

 

 

Continue Reading

Artigo – Por que viajar para a Índia?

Terras sagradas onde Krishna, Buda e inúmeros yogues caminharam e pregaram.

Quando escolhemos viajar para a Índia, certamente temos uma motivação que vai além do simples desejo de fazer turismo. Uma viagem para a Índia nos leva ao encontro de um território sagrado, onde as lendas e os mitos do passado estão vivos e acontecendo ao nosso redor. A Índia parece, em certo sentido, um lugar em que o tempo caminha numa marcha diferente. Quando chegamos à Índia somos inundados por imagens, odores, sons e sentimentos que caberiam perfeitamente bem há dois ou três mil anos. É como se caminhássemos por entre as páginas de um gigantesco livro de História.

Descobrimos que é impossível estar na Índia e não perceber a profunda espiritualidade que paira na atmosfera, como um perfume delicado que se sente sem saber de onde está vindo. Essa espiritualidade é o fio com o qual foi tecida a cultura e o temperamento de seu povo. A Índia promove o nosso encontro com o divino e o espiritual. Esse encontro com nossa própria essência é o grande prêmio que motiva grande parte dos viajantes que escolhem aquele país como destino.

Quando estamos na Índia frequentemente sentimos a presença do transcendente. Nas cidades sagradas como Rishikesh e Haridwar, cruzamos a todo tempo com swamis, babas e sadhus com suas vestes coloridas e austeras. São seres que renunciaram à vida mundana para de dedicar integralmente à busca espiritual e ao serviço à humanidade. Mesmo os templos mais simples e despojados de qualquer luxo guardam uma atmosfera de mistério e profundidade. No nascer e no pôr-do-sol é comum ouvirmos o cântico de mantras que embevecem a alma e nos conduzem a outras dimensões.

Alguns escritores já comentaram que viajar para a Índia é viajar para dentro de si mesmo. A riqueza das expressões culturais tem o efeito de despertar a riqueza que está oculta dentro de cada um de nós. Romancistas como Hermann Hesse, encontraram essa trilha e fizeram dela uma inspiração para suas obras.

Viajar pela Índia é uma experiência transformadora. Quando estamos diante do magnífico Taj Mahal em Agra, é impossível não ficar embevecido com a beleza das formas dessa obra prima da arquitetura Mogul. Um dos locais mais fascinantes do território indiano é Rishikesh, a capital do Yoga, que fica na beira do Rio Ganges. Ficar hospedado num ashram como, por exemplo, o do Swami Rama Sadhak Grama Ashram e participar de seus rituais é algo inesquecível. As práticas começam às 5 horas da manhã e incluem a recitação de mantras, meditação, aulas de yoga (asanas e exercícios respiratórios) e palestras sobre cultura védica e a tradição do yoga dos himalaias. A estadia é um convite para uma verdadeira viagem interior.

O sul do país é uma região de poetas inspirados, onde a tradição da arte com as palavras remonta há mais de dez mil anos. Ali viveram Sri Aurobindo, Ramana Maharshi e outros tantos santos que a Índia produziu no passado. Um local muito especial é a ecovila Auroville, que fica a poucos quilômetros de Pondicherry, criada nos anos 60 inspirada nos ensinamentos de Sri Aurobindo. Pessoas de muitas nacionalidades buscam viver uma vida plena com base na solidariedade e na sustentabilidade. Não há, por exemplo, circulação de dinheiro, havendo um sistema de troca de serviços e de bens. Existe inclusive uma loja onde as pessoas deixam os objetos que não mais precisam para que outros possam utilizá-los, sem custo. Um outro destaque do Sul encontra-se em Chennai. É a inspiradora sede da Sociedade Teosófica que fica no bairro de Adyar em meio a um magnífico parque. Lá existem lindos jardins e pequenos templos dedicados às grandes religiões da humanidade.

 

Eduardo Weaver

 

Apoio:

Soraya Farah

Eco Mind Events

Instagram: zenmind_ecomind

Facebook: Eco Mind Events

Blog: www.ecomind.center

Continue Reading